Archive for outubro \28\+00:00 2009

Veja a lata do Luiz Henrique

outubro 28, 2009

LH-ultra

Esse é o Luiz Henrique ou pelo menos o que a ultrassonografia morfológica apresentou como sendo meu filho. A ultra morfológica é um exame muito importante, pois é quando se avalia de forma mais completa a anatomia do bebê [peguei isso no Fetalmed] e se descobre se o moleque tem algum problema etc e tal. Pra resumir, dá um medo danado fazer esse exame e ao mesmo tempo é um dos mais esperados pelas mamães e papais, pois é nele que podemos ver pela primeira vez a lata do moleque.

Ok, eu sei que essa imagem não é lá muito nítida, mas já podemos criar a mais nova polêmica do QdB: Luiz Henrique se parece com a mãe ou com o pai?! Tem até fotinha pra ajudar…

LH-ultra-2

Você pode responder a essa elaborada pergunta na enquete abaixo.

Estar grávida é…

outubro 21, 2009

Até agora (pelo menos pra mim), estar grávida é:

  • Me sentir carente todo o tempo
  • Ligar para o Thales o dobro de vezes que eu já ligava todos os dias (coitado)
  • Trocar de obsessão a cada 15 dias – a atual é ter pânico de ficar cheia de varizes
  • Ser mais ‘mulherzinha’ do que nunca e me encher de cremes e mais cremes
  • Ter vontade de comer brigadeiro TODOS os dias (antes eu tinha vontade dia sim, dia não)
  • Ler três livros sobre bebês ao mesmo tempo, mas não conseguir terminar nenhum de ficção
  • Xingar um homem no ônibus sem a menor cerimônia (culpa dos hormônios)
  • Vibrar de ter que fazer uma ultrassonografia ou ir ao médico – são nessas situações que nós vemos e ouvimos o Luiz Henrique
  • Ter muita dificuldade de manter os olhos abertos depois do almoço
  • Ter pânico da balança
  • Ir à academia sem reclamar tanto
  • Ficar orgulhosa da minha barriga
  • Me sentir feliz e apaixonada todo o tempo
  • Me sentir cansada todo o tempo
  • Amar incondicionalmente alguém que nunca vi

O trabalho enobrece a mulher grávida???

outubro 14, 2009

Certamente isso não é uma sensação só minha, mas muitos dias tenho que lidar com o pouco ânimo para trabalhar. Acho que todas as grávidas, em algum grau, passam por isso.

Tudo que está acontecendo comigo, com meu corpo e minha cabeça me dá a sensação de que o mundo deveria parar e esperar a chegada desse momento único na vida: o nascimento do meu primeiro filho! Egocêntrica, não?

Como me concentrar em coisas tão comuns e banais enquanto meu filho está a caminho? Quero falar dele, pensar nele (isso eu faço o tempo todo), planejar coisas para ele, ler sobre a gravidez, pesquisar sobre cremes, cursos, decoração de quartos… E no meio disso, tenho que sair pra trabalhar. E mais: me concentrar e trabalhar direito. 😀

Por outro lado, os 21 dias em que fiquei em casa por causa da gripe suína foram de muita ansiedade. Tinha todo o tempo do mundo para pensar, inventar coisas e colocar minhocas na cabeça. E, claro, comer. Então voltar a trabalhar foi um santo remédio!

O poder de concentração não é o mesmo de antes e por isso as listas de pendências se aglomeram na minha mesa e no meu e-mail (é isso mesmo, eu mando e-mails para mim mesma com listas do que tenho que fazer). Elas têm me ajudado muito!

Trabalhar tem sido cansativo em alguns momentos, mas ao mesmo tempo, me sinto mais calma e ‘blindada’ para alguns problemas, não acho que o mundo vai acabar por qualquer coisa.

o melhor disso tudo é que saio de férias em 16 dias!!! Depois trabalho pouco mais de dois meses (com festas, folgas e plantões de fim de ano no meio do caminho) e saio de licença. E depois, outras férias, com filhote no colo. Hummm, que delícia!!! Aí é que eu quero ver a vontade de trabalhar voltar!!!

Como uma onda no mar

outubro 8, 2009

Na terça-feira à noite, o papai sentiu o Luiz Henrique pela primeira vez. Na verdade, não foi um chuuuuute muito convicto, tava mais pra uma onda. Eu estava deitada e é nessa hora em que eu fico tranquila, calma, em silêncio e consigo notar mais as coisas. E parece que é nessa hora em que ele se anima!

Comecei a perceber que ele mexia muito e que dava pra notar os movimentos. Dei um singelo grito e chamei o Thales, que estava no computador. Ele conseguiu sentir uma onda e deu o braço a torcer: BARRIGAS TREMULAM SIM!!! Não são só as bandeiras. Essa foi a forma mais precisa que encontrei para descrever os primeiros movimentos do Luiz Henrique. Agora o que eu sinto já é diferente, mas o que deu pro papai notar foi a tremulada. Já é um começo, né? 🙂

Comida x Peso x Exercícios

outubro 8, 2009

brigadeiro

Desde antes de engravidar, o peso já era uma questão que me tirava o sono. Isso porque a minha amizade de longa data com frituras, massas, doces (principalmente brigadeiros) e biscoitos faz com que eu não me dê muito bem com a balança.

Os amigos sabem que há pouco tempo eu estava muuuuuito fora do peso e que decidi que só engravidaria depois de perder todo o peso extra. Com o acompanhamento de um endocrinologista e oito meses de esforço, voltei ao peso que tinha antes de casar. Feito! Eu estava pronta e saudável para engravidar e engordar tudo outra vez! 🙂

Nos dois primeiros meses foi mole manter a meta do peso: os enjôos me deixavam longe de grandes tentações. Mas as semanas passaram, o enjoo foi embora e a fome veio como NUNCA!!! Os vinte dias em casa por conta da gripe suína foram a pior coisa possível para a minha dieta. Quase enlouqueci a nutricionista com os relatos sobre as latas de brigadeiro comidas ainda na colher.

Cheguei a ter vontade de chutar o balde, comer o quanto e o que quiser e correr atrás do prejuízo depois. Mas antes que eu colocasse tudo a perder, lembrei de um monte de coisas que eu já sabia mas que estavam esquecidas… Que engordar muito pode dar diabetes gestacional, que se eu engordar muito eu diminuo as chances de parto normal, tenho a enorme chance de explodir de estrias e, é claro, que quanto mais eu engordar pior será depois.

Hoje voltei à nutricionista e saí de lá distribuindo sorrisos. Me saí bem melhor do que a meta para o último mês e, se continuar assim, conseguirei cumprir a orientação de não engordar muito além dos doze quilos ideais no total. Mas agora que eu escrevi isso, não me senti muito confiante… 😦 Tenho medo que a fome só aumente com o passar das semanas, como acontece com muita gente. Só que há quem diga que quanto maior estiver a barriga, maior será o desconforto e menor o apetite. Assim espero!!!

É claro que os exercícios têm sido fundamentais. Hidroginástica e Pilates têm sido uma combinação fantástica. Não que eu dê pulos de alegria de acordar mais cedo para me exercitar, mas no fim das contas, tenho que admitir que agora – mais que nunca – exercício é fundamental.

Movimentação à vista

outubro 5, 2009

Eu não sei se foram as alegrias com a escolha do Rio para 2016 ou o sofrimento com a situação do Flu. Fato é que Luiz Henrique começa – finalmente! – a dar sinais. Como eu nunca estive grávida antes, ainda fico na dúvida sobre o que estou sentindo, mas desde sexta à noite tenho umas “bolhas estourando” na barriga. Os movimentos são bem leves, não dá pra dizer que são chutes cheios de energia, mas eu estava tão ansiosa por senti-lo logo…

Tudo que eu quero agora é que o Luiz Henrique fiquei maiorzinho para o papai também poder senti-lo! Força, filho! 🙂