Archive for the ‘Papai’ Category

E lá se vão 4 meses…

junho 17, 2010

Ando muuuuito sumida daqui. Aos poucos a vida vai tomando uma cara mais normal, mas os momentos livres ainda são raros.

Luiz Henrique está com 4 meses e 11 dias. Na última visita ao pediatra, há 15 dias, ele já estava com 6,8 kg e 63 cm. Graças, exclusivamente, a muito leite materno. Desde que completou 3 meses ele já pula a mamada da madrugada e dorme a noite toda, o que significa uma chance de descanso pra mamãe aqui! Só que são nessas 8 horas em que ele dorme que eu tomo banho, leio e-mail, vejo tv, leio jornal, livros sobre bebês, janto, fico com o maridão, durmo… Tá certo que os avós Jorge e Vera são incansáveis e ajudam muuuuuito, mas nunca achei que entreter uma criança de 4 meses fosse tão cansativo!!! Imagina quando ele começar a engatinhar! hehehehehehehe.

As cólicas passaram e apenas o refluxo persiste. Ele é responsável pelas minhas maiores preocupações. Uma criança que golfa tanto vai crescer o que precisa? A balança do pediatra me prova que sim todo mês. Mesmo assim, dá um aperto no coração vê-lo golfando tanto. 😦

O lado bom disso é que, passados pouco mais de 4 meses, já vemos como ele é uma criança bem-humorada. Segundos depois de uma bela golfada, muitas vezes todo sujo e com aquele cheirinho de azedo, ele abre o maior sorriso do mundo, como quem diz: ‘Tá tudo bem, mãe. Coloquei pra fora só o excesso.’

Como ele já está um rapazinho, os passeios são mais frequentes. Ele quase não chora, distribui sorrisos e deixa mamãe e papai cada vez mais orgulhosos. A fotinho é da festa junina da Eja lá no Colégio São Vicente. Vovó Vera trabalha lá, mamãe Mariana e papai Thales estudaram lá, se conheceram lá, começaram a namorar e até casaram lá. E na primeira visita do Luiz Henrique ao São Vicente, uma foto no lugar onde mamãe e papai deram o primeiro beijo! Quibunitinhu!!!!

Anúncios

Qualquer semelhança…

novembro 24, 2009

Quanto mais se aproxima a hora em que vamos conhecer o Luiz Henrique, aumenta minha curiosidade. Como ele vai ser? Tranquilo? Agitado? Risonho? Sério? Implicante? Vai ter as manias da mamãe ou do papai? Ou vai ser diferente dos dois?

É claro que ainda fica aquela pergunta: vai parecer com quem? Vai ser a cara da mamãe, do papai, dos avós, dos tios? Aqui e aqui você já pode ter uma idéia de como o Luiz Henrique é.

O que mais assusta é como o tempo passou rápido, como falta pouco e como ainda temos muito a aprender. Até há pouco tempo ele ainda era um amendoim, depois evoluiu para um girino e agora já tem carinha de bebê…

O primeiro quadradinho é do dia 06 de julho e ele ainda não parecia nem de longe um humaninho, com pouco mais que 1cm… Na ultra seguinte, feita em agosto, ele tinha só 6 cm, mas já tinha um rostinho e a médica conseguiu medir o osso do nariz e fazer um dos exames mais importantes de toda a gravidez. Mesmo sendo um feto tão pequenino, já foi possível ver que era um menino. Emoção total e muuuitas lágrimas!!!

Na terceira ultra, tivemos a confirmação: era o Luiz Henrique que estava a caminho! No fim de outubro fizemos a ultra morfológica, a mais demorada até agora. Tudo foi medido, checado. Ele estava muito bem, já com mais de 700 gramas, mas não quis aparecer muito não. Ficou irritado com tanto assédio e o máximo que conseguimos ver do rostinho foi aquele pedacinho do quadrado 4.

Na última ultra, há pouco mais de uma semana, mais uma vez ele estava ótimo e deu uma ‘prévia’ de como ele será. Agora nos resta preparar tudo que falta, fazer alguns cursos e roer as unhas de ansiedade para conhecê-lo. Se as contas estiverem certas, faltam 87 dias para descobrirmos como ele é!!!

Sinto que vou arruiná-lo…

novembro 11, 2009

Cara, todos os dias fico pensando em como vou educar o Luiz Henrique. Será que vou conseguir ajudá-lo com os problemas da escola? Será que ele vai ser um bom menino [daqueles que não fazem pipi na cama]? Será? Será?! Essa história de ser pai é um pouco assustadora às vezes.

1084158

Clique na iamgem para ampliá-la

Acho que essa tirinha do Liniers explica bem como tô me sentindo nesse momento [socorro!!!]. Agora, se eu já tô assim com o moleque na barriga da Mari, imagina quando estiver com aquele molequinho enrrugadinho nas mãos?! Alguém tem um manual aí pra dar uma força pro amigo?! Hein? Hein?

Tema?! Que tal uma girafa astronauta?

novembro 5, 2009

Pros pais de primeira viagem, um aviso: aparentemente, as mulheres sonham com temas pros quartos dos seus filhos. Se for menina vai ser disso [bailarina, borboletas, fadas etc] e se for menino, daquilo [floresta, astronauta, carrinhos etc]. Eu não sei se os homens pensam nessas coisas, só sei que eu nunca imaginei que um dia teria que pensar num tema de quarto de bebê simplesmente porque nem sabia que as pessoas escolhiam temas para quartos de bebês. É mais fácil escolher o nome da criança, eu acho…

Bem, quando esse assunto entrou em pauta, Mari sugeriu o tema floresta, com bichos como girafas, leões etc. Como disse, nunca tinha pensado muito no assunto, por isso não tinha nem sugestões pra dar. Até que… [salto no tempo].

… um dia, do nada, sugeri que o tema fosse astronautas [foguetes, planetas, extraterrestres] só que aí já era tarde. Perdeu, playboy papai.

Então, esse é o meu conselho: se você nunca pensou nisso antes e acha que pode contribuir com uma idéia bacana, pense em algo que você pode querer pro quarto do bebê. Se você for pego de calças curtas, não vai saber o que sugerir e depois que tudo estiver praticamente pronto, você só poderá empurrar é algo absurdo como uma girafa astronauta…

girafa-astro

Movimentação à vista

outubro 5, 2009

Eu não sei se foram as alegrias com a escolha do Rio para 2016 ou o sofrimento com a situação do Flu. Fato é que Luiz Henrique começa – finalmente! – a dar sinais. Como eu nunca estive grávida antes, ainda fico na dúvida sobre o que estou sentindo, mas desde sexta à noite tenho umas “bolhas estourando” na barriga. Os movimentos são bem leves, não dá pra dizer que são chutes cheios de energia, mas eu estava tão ansiosa por senti-lo logo…

Tudo que eu quero agora é que o Luiz Henrique fiquei maiorzinho para o papai também poder senti-lo! Força, filho! 🙂